ATM | Associação de Investidores

  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Error
  • Error loading feed data.

10 anos do Jornal de Negócios

E-mail Print PDF
O Negócios celebra os 10 anos da sua passagem a jornal diário. Ao longo dos últimos dias temos evocado esta data. Primeiro com entrevistas a Teixeira dos Santos, Luís Portela, Alexandre Soares dos Santos e Pedro Passos Coelho, que foram eleitos personalidades do ano pela redacção do Negócios. Depois recordámos acontecimentos que marcaram a década. Hoje, um conjunto de personalidades de diferentes áreas, diz o que pensa sobre o jornal.

António Melo Pires
Presidente da Autoeuropa


“Num segmento de mercado tão sensível como a informação económica, não basta ser claro na mensagem, profissional no comportamento e rigoroso no tratamento dos dados. É necessário também ser capaz de interpretar o impacto que os ciclos de crescimento ou de crise da economia têm no quotidiano das sociedades.


Por outro lado, considero que um meio de comunicação responsável e atento à conjuntura social que vivemos em Portugal não pode estar alheio à necessidade de realçar os exemplos positivos que felizmente existem na economia nacional. É precisamente em tempos de instabilidade que se torna necessário comunicar o que de bom se faz no nosso país, de modo a inspirar os atores económicos nacionais a seguirem padrões de excelência.


Desde a sua fundação que o Jornal de Negócios tem conseguido gerir este equilíbrio difícil, produzindo informação válida para um investidor e, simultaneamente, útil para o cidadão comum – o que é, na essência, o papel de um meio de comunicação eficaz e competente. Ao longo desta década, o Jornal de Negócios passou por diversas fases, mas nos últimos anos tem sido notório o reconhecimento que tem obtido junto dos seus leitores, o que prova a validade do seu projeto editorial e a qualidade da sua equipa. Espero que este crescimento se mantenha no futuro e que em 2023 comemoremos os 20 anos de sucesso do Jornal de Negócios.”





António Horta Osório
Presidente executivo do Lloyds Bank


É com muito gosto que dou os parabéns ao Negócios pelo seu décimo aniversário como jornal diário. Ao longo destes dez anos, o Negócios afirmou-se como um grande jornal económico, independente, com reputação e carácter. Serviu os leitores com informação de qualidade e habituou-nos a um tratamento noticioso pautado pela isenção e preocupação em acompanhar as necessidades informativas dos portugueses, numa década em que Portugal e o mundo atravessaram períodos intensos, conturbados, de incerteza, mas também períodos de mudança, de inovação e de melhoria em muitas áreas.


Durante estes dez anos, em que vivi sete fora de Portugal, o Negócios foi essencial também para me manter informado sobre a realidade portuguesa, com artigos de opinião de qualidade e trabalhos de reportagem que permitem conhecer e perceber alguns dos acontecimentos mais importantes que marcaram o país na última década. Estou convicto que boa informação financeira contribui para uma melhor economia e, por isso, espero continuar a ler o Negócios ao longo dos próximos dez anos.


Por último, os parabéns ao Pedro Guerreiro, pela reputação que criou no jornal e à Helena Garrido por ter aceite o desafio de a manter e desenvolver!




António Vieira Monteiro
Presidente do Santander Totta


O Jornal de Negócios conseguiu, ao longo destes 10 anos, conciliar a capacidade de inovar com um jornalismo isento, rigoroso e de qualidade. Provam-no os inúmeros prémios que toda a sua equipa tem recebido, nomeadamente o Prémio de Jornalismo Económico da Universidade Nova de Lisboa do qual tem sido vencedor em diferentes categorias nos últimos 7 anos. Por isso tudo e também pela qualidade dos profissionais que tenho conhecido ao longo dos anos, os meus Parabéns! Espero que continuem com os mesmos atributos de profissionalismo e determinação por muitos mais anos, os meus Parabéns!




Zeinal Bava
Presidente da PT Portugal e da Oi


Há uma economia antes e depois do Jornal de Negócios. O país mudou - muito - em 10 anos e o Jornal de Negócios fez parte dessa mudança. Todos os tempos da nossa História são importantes, mas para aqueles que no futuro quiserem contar a História da Economia Portuguesa entre 2003 e 2013 o Jornal de Negócios será, certamente, um roteiro essencial. Aqueles que sobrevivem ao tempo, são aqueles que verdadeiramente moldaram o seu tempo. O Jornal de Negócios demonstrou, perante a industria, capacidade de antecipação e inovação, duas características essenciais para vencer nos "Negócios". A todos os jornalistas que desenvolvem este projeto o meus sinceros parabéns!.




Carlos Tavares
Presidente da CMVM (Comissão do Mercado de Valores Mobiliários)


O Jornal de Negócios para mim é um elemento de consulta obrigatória quer na sua versão papel, ao princípio da manhã, quer na versão online, que eu considero uma boa fonte online de informação. Por isso, entrou nos meus hábitos. Tem mantido uma qualidade e também uma opinião isenta, que é um requisito essencial para qualquer jornal, mas em particular para um jornal de economia.




Jorge Tomé
Presidente do Banif


O melhor elogio que se pode fazer ao Jornal de Negócios pelo 10º aniversário da edição diária é dizer que faz parte do nosso quotidiano de forma tão presente que parece que não nos lembramos de quando não existia . É uma fonte imprescindível para qualquer gestor e decisor ao nível empresarial e político pela seriedade e profundidade com que analisa os temas e pela isenção com que os transmite. Parabéns.





Faria de Oliveira
Presidente da APB (Associação Portuguesa de Bancos)


O Jornal de Negócios é um órgão de comunicação que tem dado um contributo muito importante para uma informação e, ao mesmo tempo, uma formação dos seus leitores. É um projecto de sucesso. A direcção do jornal teve um papel muito importante na constituição de uma equipa forte e que procura um elemento essencial, que é informar com o maior rigor possível.




António Bagão Félix
Economista e ex-ministro das Finanças


O Jornal de Negócios faz anos. É - nos media - ainda uma criança. Não façamos com ele o que, às vezes, se quer fazer das crianças e jovens. Que deixem de o ser. Por isso, espero que não envelheça precocemente e que possa desfrutar da sua vida, sem que se queimem etapas. Há tempo.


O Jornal de Negócios é um bom caleidoscópio de ideias, sentidos, percepções e temas. Na dose certa. Nem empanturra indigestamente, nem superficializa na pressa.


Faço votos para que continue a saber exprimir a diferença. Com independência, inovação, exactidão e inteligência. De ser com os outros e para os outros.




Diogo Feio
Eurodeputado do CDS/PP


O Jornal de Negócios veio ocupar um espaço que estava aberto na informação económica nacional, sobretudo no online, mas que só demos por ele quando o jornal o preencheu. Rigor, seriedade e acessibilidade são adjectivos que me ocorrem quando penso no e leio o Jornal de Negócios. Os dois primeiros adjectivos pela forma como tratam a notícia e o último pela forma como a explicam aos leitores. Parabéns ao Negócios por estes dez anos de vida e pelo excelente trabalho que fazem, todos os dias pela informação e formação dos vossos seguidores. Eu sou um deles.




Octávio Viana
Presidente da ATM (Associação de Analistas Técnicos e Investidores)


Na comunicação social, o Jornal de Negócios tem exercido a sua missão de acompanhar, monitorizar e informar sobre a situação politica, económica, social, empresarial e financeira de forma séria, independente e exemplar, sendo por isso uma referência nacional e internacional na tomada de decisões pessoais e profissionais, por indivíduos e pelas mais diversas entidades (sendo muitas vezes um market mover). Nestes 10 anos, o Jornal de Negócios e toda a sua equipa (porque as instituições são as pessoas) tem cumprindo um verdadeiro e incontestável serviço de interesse público. Diria, por fim, que hoje o Jornal de Negócios é um verdadeiro arquivo de informação que nos permite reconstruir com grande rigor e independência a situação politico, económico, financeira e social do nosso país nos últimos dez anos e, na actualidade, o local onde podemos obter e confirmar a informação económica diária. Parabéns ao Jornal de Negócios, aos seus fundadores e investidores e a toda a sua equipa que nestes 10 anos fez do Jornal Negócios a referência que hoje é.




António Ramalho
Presidente da Estradas de Portugal


Lançar um jornal económico em ambiente concorrencial, apostar numa estratégia digital, alternativa e complementar, e manter um linha editorial independente, tem sido o mérito do Jornal de Negócios. Por isso, estou certo que para a equipa do Jornal de Negócios estes 10 anos valeram mais que uma década. Mas para mim, como leitor também valeram mais.




Manuel Reis Campos
Presidente da AICCOPN


Nascido de um projeto inovador, o Jornal de Negócios constitui um raro exemplo da capacidade de adaptação e do empreendedorismo a que, todos os dias, dá voz. Cumpre com determinação a sua missão de informar e é, para mim, não só a título pessoal, mas também enquanto presidente da CPCI - Confederação Portuguesa da Construção e do Imobiliário e da AICCOPN - Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas, uma publicação de referência. O Negócios assume, nos dias de hoje, uma importância acrescida. Quando a incerteza dos números se transforma na incerteza de um País. Quando a desconfiança nos mercados, tolda a confiança dos investidores. Quando o pessimismo absorve o pensamento das famílias, é essencial podermos contar com uma imprensa capaz de fazer da notícia um fator acrescido de motivação, seja para os agentes económicos, seja para as famílias. Além da crise económica e financeira, estou convicto que enfrentamos uma crise profunda de confiança. Há que fazer vir ao de cima o que de melhor existe no nosso País e aquilo que melhor sabemos fazer. Esta é, nos dias de hoje, uma das missões da imprensa e, muito em particular, da nossa imprensa económica.




Eduardo Rangel
Presidente do Grupo Rangel


O Jornal de Negócios é isso mesmo. Enquanto publicação diária, há dez anos que contribui para a preservação da nossa memória coletiva, que alimenta a discussão e que ajuda a sociedade a evoluir.


Está pois de parabéns. Com uma existência que o diferencia das demais publicações e, como tal, plenamente justificada, estou certo que continuará a trazer-nos notícias por muitos e muitos anos.


A minha opinião sobre o Jornal de Negócios é muito positiva, é um jornal que está sempre em cima do acontecimento económico e descreve normalmente a situação com muita clareza e transparencia, dentro dos jornais económicos é um dos que eu leio diariamente excepto ao sábado e domingo porque não se publica. Acho que pelo menos ao sábado devia publicar se.




Fátima Barros
Presidente da Anacom - Autoridade Nacional de Comunicações


A independência, isenção e rigor caraterísticos do Jornal de Negócios levaram-no a conquistar um estatuto de destaque no panorama da imprensa económica nacional. É hoje um jornal de leitura obrigatória e incontornável.


Nascido no meio digital, o Negócios fez uma aposta arriscada quando decidiu ter um suporte físico em papel. Fez o caminho ao contrário. Enquanto os outros jornais partiam das marcas bem sucedidas no papel para se afirmarem no digital e assegurarem o futuro, o Negócios arriscou e materializou a sua jovem marca digital em papel. 10 anos depois, pelo estatuto que alcançou, revela-se uma aposta ganha. Parabéns à equipa que todos os dias contribui para que os portugueses estejam mais e melhor informados!




Silva Rodrigues
Administrador da Barraqueiro


Quando vim para aqui (Barraqueiro) perguntaram-me qual era o jornal que eu queria ter em cima da mesa todos os dias e eu disse que era o Negócios. É um jornal interessante, equilibrado, ainda que sempre focado nas empresas e economia. Sou um leitor assíduo. Acho que fazem serviço público com os especiais e os gratuitos.





José Veiga Sarmento
Presidente da APFIP


A APFIPP está reconhecida ao Jornal de Negócios pelo contributo desassombrado e lúcido que consistentemente deu aos profissionais do mercado financeiro e ao público em geral. O JN soube ser irreverente quando era necessário, não se conformando à lei da força pública ou económica, que têm a natural propensão para instrumentalizar os canais de informação em seu proveito.


Este é, creio, o maior elogio que se pode fazer a um orgão de informação. O poder da informação sobre a Sociedade é como se sabe, enorme. Quando esse poder é usado ao serviço da objectividade e dos factos, a Sociedade que somos todos nós, fica reconhecida.




António Castro Henriques
Presidente da Soares da Costa


Leio o Negócios todos os dias. Aprecio a independência e a capacidade de investigação. É para mim um instrumento de trabalho. No escritório tenho o site quase sempre aberto. Até em férias o compro... Parabéns pelos 10 anos. Estou convicto de que o Negócios será ainda mais importante nos próximos 10.





Pedro Pitta Barros
Professor de Economia e vice-reitor da Universidade Nova de Lisboa


Jornal de Negócios: informação e análise sobre negócios e economia. Resume-se assim a capacidade do Jornal de Negócios conseguir notícias, e tratá-las de uma forma séria, consistente e atempada. Várias notícias e decisões de política económica surgiram em primeira mão pelo "Negócios" (nome carinhoso que muitos lhe dão) sem que tenha cedido ao sensacionalismo. Alia a esta característica a publicação regular de trabalhos de maior pensamento e preparação. Tornou-se naturalmente uma leitura regular.



in Negócios

Last Updated on Thursday, 12 December 2013 13:41  

LOGIN DE SÓCIO

DIFUSÃO DE INFORMAÇÃO


RSS
YouTube
Junte-se ao nosso grupo
Junte-se à nossa rede
Siga-nos